28
fev 19

GitLab no SoftDrops

GitLab no SoftDrops

No SoftDrops do dia 20 de fevereiro, Renato Diogo falou aos colegas sobre o GitLab. O desenvolvedor, que teve a oportunidade de experimentar a ferramenta enquanto estava trabalhando in loco em um de nossos clientes, explorou o conceito e as funcionalidades da mesma, destacando suas vantagens e desvantagens.

O que é GitLab?

Renato explicou que o GitLab é uma aplicação única para todo o ciclo de desenvolvimento de software. “Com ele é possível planejar, versionar o código, fazer integração contínua e monitorar o software. Ou seja, ele é uma ferramenta que reúne (em uma só) diversas funções de outras ferramentas já disponíveis no mercado”.

O GitLab é Open Source e possui licença para Server e SaaS, com opção de suporte pago. Para utilizá-lo gratuitamente é necessário que o projeto desenvolvido seja também Open Source, que esteja de acordo com a licença Open Source Iniciative (OSI) e que não tenha fins lucrativos.

API e Pipeline

Renato salientou que entre as vantagens do GitLab está a presença de uma uma API com comandos prontos, o que permite que todas as operações realizadas via web, manualmente, sejam automatizadas dentro da ferramenta. “No caso do projeto no qual eu estava trabalhando, utilizamos a API para que o GitLab executasse as mesmas operações do Git Flow. Com o auxílio do Postman, ferramenta que utilizamos para fazer as chamadas da API, automatizamos 36 comandos manuais, reduzindo-os a seis”, comentou.

O desenvolvedor também destacou que o Gitlab conta com um Pipeline, responsável pela execução de uma sequência de comandos disparados por um evento. “O pipeline é programado via um script que colocamos dentro do código. Quando começamos a utilizar o GitLab no nosso projeto ele estava cru, não tinha nada. Foi preciso estudar, criar o script e testá-lo, para descobrir se ele seria útil pra gente”.

Vantagens e desvantagens

Ao final do SoftDrops, Renato pontuou que o GitLab agiliza o trabalho, é de fácil utilização e garante independência, visto que funciona como um centralizador de ferramentas. Porém, ele tem como principal inconveniente o seu valor, que é alto. “Se o projeto não for Open Source, é necessário que a empresa faça uma análise de viabilidade para decidir se sua implementação se justifica”, finalizou.

Atualmente, a ferramenta possui os planos Bronze, U$$ 4 por usuário por mês; Silver, U$$ 19 por usuário por mês; e Gold, U$$ 99 por usuário por mês; cada um com funcionalidades específicas.

Gitlab_RenatoDiogo (2) Gitlab_RenatoDiogo (2)

Micaela L. Rossetti
Micaela L. Rossetti

Coordenadora de Marketing da SoftDesign, é formada em Jornalismo (UCS) e mestre em Comunicação Social (PUCRS). Especialista em comunicação e marketing digital, é aluna do MBA em Gestão de Projetos da PUCRS.

Deixe uma resposta