23
nov 18

Kubernetes no SoftDrops

Kubernetes no SoftDrops

No SoftDrops do dia 14 de novembro, o desenvolvedor Jones Ambrosi falou aos colegas sobre Kubernetes. Originalmente projetado pelo Google e hoje mantido pela Cloud Native Computing Foundation, o Kubernetes (K8S) é um sistema de orquestração de infraestrutura física/virtual que padroniza a implantação, o dimensionamento e a gestão de containers.

De acordo com Jones, “o Kubernetes foi criado para gerir infraestruturas complexas e possuidoras de muitos recursos a serem disponibilizados para a parte de produção, desenvolvimento e também testes de software”. Ele veio para suprir as novas necessidades das VMs (Virtual Machine Managements) que eram menos enxutas e necessitavam de um sistema operacional virtualizado para suportar aplicações, diferente dos containers.

Mas afinal, o que são containers?

Os containers são ambientes portáteis capazes de empacotar aplicações com links, bibliotecas e todos os outros recursos necessários para o seu funcionamento. É um novo nível de virtualização que facilita a fragmentação de aplicações em componentes menores, os microsserviços.

“Os containers conseguem acessar a estrutura do sistema operacional sem interferir no mesmo, sendo independentes dele. Isso significa que a equipe terá maior eficiência operacional do que se estivesse trabalhando com aplicações monolíticas”, afirmou Jones.

Kubernetes e suas vantagens

O desenvolvedor explicou que, com o Kubernetes gerenciando os containers, é possível ter maior controle sobre as máquinas, redes, serviços e suas interações entre si. Ele torna possível criar uma infraestrutura real para o cliente já durante o desenvolvimento – ou seja, um determinado set de máquinas pode ser validado antes mesmo de ser entregue.

Segundo Jones, “esse set de máquinas chama-se Pod e nele é possível criar toda a infraestrutura de negócios e de microsserviços, além das conexões entre eles. Como os Pods são isolados uns dos outros, há a garantia de segurança, visto que diversos times podem trabalhar concomitantemente, sem possibilidade de interferências”.

Objetos do Kubernetes

Pods são objetos do Kubernetes, assim como Serviços, Volumes e Namespaces. Os Serviços reúnem os Pods e são responsáveis por definir quantas réplicas, containers, uso de CPU e níveis de infraestrutura serão utilizados na aplicação. Já os Volumes são os locais onde os serviços são armazenados; e os Namespaces são agrupamentos lógicos de Pods/Serviços.

“O Kubernetes proporciona uma normalização na criação destes recursos e oferece uma maneira de acesso e controle dos mesmos em forma de API. Com ele é possível ainda estender e implementar novos sistemas que verifiquem e validem, por exemplo, tal infraestrutura”, concluiu Jones.

SoftDrops_JonesAmbrosi (2) SoftDrops_JonesAmbrosi(3)

Micaela L. Rossetti
Micaela L. Rossetti

Coordenadora de Marketing da SoftDesign, é formada em Jornalismo (UCS) e mestre em Comunicação Social (PUCRS). Especialista em comunicação e marketing digital, é aluna do MBA em Gestão de Projetos da PUCRS.

Deixe uma resposta