22
jun 18

SoftDrops: Níveis de Maturidade UX

SoftDrops: Níveis de Maturidade UX

Na última quarta-feira, uma parte do nosso time de UX Designers aproveitou o SoftDrops para falar sobre os Níveis de Maturidade UX. Flávia Ampessan e Natália de Oliveira exploraram o histórico do Design como profissão, e abordaram as diferenças entre User Experience (UX) e User Interface (UI).

O Design na História

Flávia explicou que até a metade do século XIX, os produtos consumidos pelas pessoas eram criados por artesãos em oficinas e, devido ao contexto da época, possuíam características rebuscadas. Com a chegada da Segunda Revolução Industrial, a produção em massa encontrou dificuldades para continuar produzindo objetos com a mesma forma ornamentada, mas agora em grande escala. O designer surgiu nesse cenário, focado na construção de um objeto otimizado para as pessoas e adaptado a essa nova realidade industrial.

“Em um projeto, nós trabalhamos com metodologias que apresentam uma série de tarefas focadas em solucionar um problema. O designer soluciona problemas, sejam eles a criação de um produto novo, ou um já existente que precisa ser repensado. E sempre a forma segue a função”, comenta Flávia. Natália ainda completa: “Design é mindset. É uma forma de pensar pela qual chegamos em resultados possivelmente melhores e com maiores chances de sucesso”. Essa é a base de conhecimento do Design que sustenta todos os profissionais da área.

Diferenças entre UI e UX

A partir deste ponto, cada segmento específico segue suas próprias diretrizes, como é o caso do UX Design e do UI Design. O User Interface Design diz respeito à disposição e estética dos elementos em uma tela, ou seja, é visual. O User Experience Design é a experiência, é o produto em sua melhor forma desempenhando a sua função com qualidade e adaptado ao contexto de uso.

Flávia e Natália exemplificaram refletindo sobre o catchup da marca Heinz. “A interface é a embalagem, é ela ser bonita e moderna. A experiência é o tubo ser virado para baixo, o que facilita o seu uso”, comenta Flávia. Para Natália, “UX é entender a forma e a função de um objeto dentro de um contexto. É planejar e executar pensando no negócio, no produto em si e principalmente na sua utilidade final”.

Níveis de Maturidade UX

Ao final do SoftDrops, as designers apresentaram os 5 Níveis de Maturidade UX elencados pela Macadamian, empresa de Design canadense:

– Começo: fase em que a empresa desconhece o UX Design e não o utiliza;

– Percepção: quando a empresa sabe da sua existência e começa a entender a sua importância;

– Adoção: consciência da necessidade do UX Design e a contratação de profissionais da área para o implementar efetivamente;

– Realização: fase em que os Designers UX da empresa conseguem aplicar os seus métodos e o resultado desse trabalho passa a ser visível para todos;

– Excepcional: o nível mais avançado de maturidade em UX Design dentro de uma empresa, quando todo o processo de trabalho está voltado para essa prática, iniciando pela venda, passando pela concepção, planejamento, execução, entrega e posterior acompanhamento de resultados.

Flávia e Natália salientam que partindo de qualquer um dos níveis, para que o próximo seja alcançado, é necessário conectar todas as áreas da empresa e difundir a Cultura UX. Tanto para o departamento Comercial, quanto para os Gerentes de Projetos, Product Owners, Desenvolvedores e Testers. Assim, todos podem trabalhar juntos em prol do mesmo objetivo.

E você? Já parou para pensar em qual Nível de Maturidade UX está a sua empresa?

Até o próximo SoftDrops!

SoftDrops: Maturidade UX (2)

SoftDrops: Maturidade UX (3)

Micaela L. Rossetti
Micaela L. Rossetti

Coordenadora de Marketing da SoftDesign, é formada em Jornalismo (UCS) e mestre em Comunicação Social (PUCRS). Especialista em comunicação e marketing digital, é aluna do MBA em Gestão de Projetos da PUCRS.

Deixe uma resposta