15
mai 18

Aplicativos móveis – Dúvidas frequentes

Aplicativos móveis – Dúvidas frequentes

Neste post vamos responder a algumas perguntas que recebemos com frequência sobre desenvolvimento de aplicativos.

1) Qual a melhor tecnologia para desenvolvimento mobile?

A primeira coisa a saber é que existem várias opções. Um aplicativo pode ser desenvolvido de forma Nativa, Híbrida, ou ainda com uma solução de código único. Vamos entender as diferenças?

  • Nativo: o aplicativo é construído nas tecnologias de cada sistema, ou seja, para Android é escrito um aplicativo em Java, para iOS é escrito um aplicativo em Swift;
  • Híbrido: o aplicativo é feito com tecnologias semelhantes as da web (HTML, Javascript e CSS), e esse conteúdo é embarcado em um aplicativo que funciona como um navegador, e que pode ser instalado no Android e no iOS;
  • Código único: o aplicativo é construído em uma linguagem única (Javascript, por exemplo) e uma tecnologia gera dois aplicativos, um nativo para Android e um nativo para iOS.

Afinal, qual a melhor? Depende! Para escolher a tecnologia para cada projeto é necessário avaliar suas características, por exemplo: Qual tipo de funcionalidade o aplicativo vai ter? A interface será rica, com animações, ou será simples? Quais as restrições de tempo e investimento?

Para resumir, nossa sugestão seria:

  • Use o Híbrido quando o aplicativo for simples, sem animações, principalmente voltado a textos (por exemplo, um aplicativo institucional com as notícias da empresa) ou se você quiser construir um MVP descartável para testar a ideia de uma startup;
  • Use o Código único se você quiser um resultado melhor do que o do híbrido, mas quiser mais velocidade de desenvolvimento do que o nativo;
  • Use o Nativo quando você quiser ter todo controle sobre uma interface rica, ou se quiser desenvolver interfaces específicas para cada plataforma, seguindo os guidelines de interface de cada plataforma (iOS e Android).

E essa discussão não termina aqui. Se você optar por Híbrido ou Código único, ainda terá que escolher um entre os vários frameworks disponíveis, como React Native, Xamarim, IONIC, Phonegap, etc. Talvez você também tenha interesse em usar Plataformas de Desenvolvimento Mobile, como Kony ou Red Hat MAP, que além do framework oferecem ferramentas integradas de publicação e de integração com outros softwares, como ERPs.

2) Quanto custa e quanto tempo leva para desenvolver um aplicativo?

Existem aplicativos que ficam prontos em dois meses, outros podem levar um ano. Se você quiser uma estimativa, vai precisar saber primeiro:

  • Qual a complexidade do aplicativo (quantas telas ele vai ter e quais funcionalidades vai disponibilizar)?
  • Esse aplicativo vai se comunicar com um servidor web? Ou vai funcionar sozinho, só acessando os dados do celular?
  • Esse aplicativo vai ser feito para iOS e Android? Qual a tecnologia que vai ser usada?
  • Você vai desenvolver uma versão completa ou um MVP para testar a ideia?

Ou seja, se você quiser uma estimativa detalhada para seu aplicativo, primeiro vai ter que pensar um pouco na solução e nos detalhes. Aqui na SoftDesign nós ajudamos muitos clientes nessa etapa por meio da Concepção e Anteprojeto, uma etapa de trabalho em que pensamos juntos na solução, escolhemos as tecnologias e realizamos as estimativas. Com a Concepção e Anteprojeto, te ajudamos a desenvolver um Cronograma ou um Planejamento de Sprints.

3) Como funciona para publicar o aplicativo nas lojas?

É preciso ter uma conta em cada uma das lojas. A conta na Google, para publicar na Google Play, é rapidinha de fazer e custa U$25  de inscrição. Já a conta na Apple depende do tipo de aplicativo que você vai desenvolver. Se o seu aplicativo vai ser aberto para usuários em geral, pode fazer uma conta de desenvolvedor que custa U$99/ano. Se o seu aplicativo é fechado apenas para funcionários da sua empresa, tem um tipo de conta especial pra você, que custa U$299/ano.

4) Um aplicativo tem custos depois que estiver pronto?

Se você está pensando em desenvolver um aplicativo, provavelmente precisará saber do seu custo total de propriedade. Isso depende um pouco do tipo de aplicativo. Vamos imaginar algumas situações:

  • Aplicativo institucional: esse tipo de aplicativo quase não tem custo depois de desenvolvido, porque raramente sofre alteração, e sua infraestrutura (sistemas integrados, servidor) é aquela que já existe na empresa – por exemplo, se o aplicativo é integrado ao CMS interno. Você precisará lembrar apenas que as tecnologias estão sempre evoluindo (novas versões de iOS e Android), então talvez precise fazer atualizações de compatibilidade com alguma frequência;
  • Aplicativo com funções de sistema: esse é aquele tipo de aplicativo corporativo que é usado pelos funcionários para fazer alguma ação, como aplicativos de CRM, de Vendas, etc. Ele terá custos como qualquer outro software, ou seja, o custo natural de manutenção: implementação de novas funcionalidades, atualização de tecnologia, etc.
  • Aplicativo da minha startup: este é um caso bem diferente. Se você está iniciando uma startup cujo principal produto é um aplicativo, você provavelmente nunca vai poder dizer que ele está “pronto”.  Se você está seguindo a lógica da Lean startup, você vai lançar uma versão inicial, mas depois vai estar constantemente adicionando novas funcionalidades, melhorando a usabilidade, respondendo aos feedbacks dos usuários ou até pivotando seu negócio. Sua empresa é um negócio digital que sempre terá dependência do software para mudar ou crescer. Então, nesse caso, considere ter a equipe de desenvolvimento sempre por perto para fazer alterações frequentes no seu app.
Karina Hartmann
Karina Hartmann

Karina é Gerente de Projetos de desenvolvimento de software e nos últimos anos tem trabalhado na concepção de produtos para startups digitais. Mestranda em administração pela UFRGS, formada em Matemática aplicada, Pós-graduada em Governança de TI. Tem as certificações CSM, PMP, CFPS e CPRE-FL. Também já foi Analista de sistemas e Programadora Java.

Deixe uma resposta